Tecnicas de Visualizacao no Estudo de Improvisacao

Share the joy
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Técnicas de visualização no estudo da improvisação

Centenas de horas de prática de improvisação em um quarto solitário e uma simples mudança rápida de acordes ou uma convenção rítmica faz você ficar ansioso e muitas vezes perder a sequencia do improviso. Esta é uma situação familiar para músicos de todos os níveis. Muitos músicos desperdiçam horas, dias e semanas de prática sem consciência ou um método seguro que garanta resultados em médio prazo, simplesmente ficam improvisando em alguma sequencia de acordes imaginando que algum dia a pratica vai deixar o processo de improvisar natural. A pior situação e associar problema ao equipamento e gastar milhares de reais em instrumentos e acessórios achando que isso o ajudará a ser um ótimo improvisador.

Esta é uma atitude completamente errada e muitos músicos continuam a pensar e tocar dessa forma por anos. Improvisando sobre a mesma sequência de acordes por meses acreditando que em algum momento simplesmente tocará bem.

Esse é o problema! Os estudantes de música e improvisação precisam estar conscientes do que será estudado antes mesmo de pegar o instrumento na mão. Portanto, para mudar nossa forma de estudar é necessário antes mudar como nossa mente armazena a informação. Nosso cérebro de alguma forma sempre está alterando a informação armazenada, mas como podemos assegurar que a informação musical está sendo carregada de forma correta e precisa? Precisamos de um método para ir diretamente ao cérebro e corrigir os “bugs” ou problemas. Estudam apontam que a melhor forma de fazer isso é através do chamado método de visualização.

Definindo Visualização

O dicionário define visualização como a formação de imagens mentais. Para o proposito desse artigo vamos definir visualização como a criação de uma imagem mental de acordes e progressões acompanhando de um sentido tátil e aural. Não se preocupe se você não entendeu a definição, isso vai ficar claro durante esse artigo e com a prática.

Bloqueios Mentais

Bom, vamos aos fatos. Você está solando sobre uma harmonia bem familiar e tudo está indo bem. Seu ritmo está bom, suas frases estão corretas e por um breve momento você hesita em uma nota ou escala. Você pensa: Em qual acorde estou mesmo? Quando você descobre o acorde, o mesmo já passou e você perdeu alguns compassos. Nesse momento você está com o bloqueio mental! Seu fluxo de ideias quebrou e toda a criatividade é perdida.

Esse tipo de bloqueio mental tem duração de um breve momento, porém com diferentes tipos de conteúdo. O bloqueio mental pode ser em relação ao acorde que estamos ou quais notas devemos utilizar ou em que parte da música estamos ou outros. Tenho certeza que todos nós passamos por momentos assim. Os bloqueios mentais podem durar segundos ou milissegundos, o importante é notá-los e estar conscientes de como evita-los ou reduzi-los ao máximo.

Esse artigo vai ensinar um método comprovado para reduzir os bloqueios mentais: A visualização. A prática da visualização reduz o tempo para encontrar o ponto perdido em uma improvisação, ou seja, reduz o efeito do bloqueio mental. Com o tempo, os bloqueios mentais irão desaparecer! A partir desse momento a ansiedade e o medo passam a não existir e você estará preparado e confiante para ser mais produtivo durante uma apresentação, ensaio ou gravação.

Removendo os bloqueios mentais

Os bloqueios mentais podem ser removidos um por um até que a criatividade musical seja liberada de forma completa. Como fazer isso? Vamos iniciar com os exercícios abaixo e pratica-los de forma metódica diariamente, note que você não precisa de seu instrumento. Você não precisa de muito tempo para esses exercícios, porém a recompensa é grande. A recomendação é estuda-los como primeira prática musical do dia por 15 minutos e por 15 minutos antes de ir dormir. Com o tempo a pratica de visualização vai melhorar e você poderá utilizar vários momentos do dia, onde alguns momentos estão disponíveis, para praticar.

Por que a visualização é tão efetiva?

Quando você está visualizando sua mente não sabe que seu corpo não está executando a atividade sendo visualizada. Trabalhar somente com a mente e totalmente diferente de estudar com corpo e mente simultaneamente, você vai direto a fonte. Vários músicos que usam essa metodologia notam que o corpo é mais apto a esquecer de que a mente. A mente é treinada para movimentar o corpo em qualquer tipo de situação, percebendo o som e o conteúdo, a intenção musical, a emoção e as nuances do que está sendo tocado. O corpo somente segue essas sensações. O corpo ensinando a mente é um processo reverso do natural, essa é a razão por que o uso da visualização é mais efetivo e mais rápido que o estudo com o uso do corpo.

Se você tem dificuldades de manter a visualização e a concentração, você vai ter problemas para executar seu instrumento. Trabalhe a concentração através da visualização e você nunca mais perceberá os bloqueios mentais enquanto estiver tocando seu instrumento.

Esse conceito é difícil de compreender e muitas vezes as pessoas não são convencidas da sua aplicação. Músicos que utilizam a visualização frequentemente dizem que 10 minutos de estudo de visualização é equivalente há 2 horas de estudo com o corpo segurando seu instrumento. Portanto, por que não usar a visualização por um período e comprovar seus benefícios.

Como estudar usando visualização?

Pode levar alguns dias ou semanas pra que você fique a vontade com a visualização, mas após essa fase inicial, será muito mais fácil. O ideal é começar com exercícios bem simples em 6 passos:

  1. Sente-se em um lugar confortável, onde você não será interrompido. No futuro você será capaz de estudar visualização em qualquer lugar, mas no inicio é melhor ter concentração total.

  2. Com a sua mente visualize o símbolo do acorde de Dó maior com sétima maior, tente manter as coisas simples, portanto tente visualizar somente a imagem abaixo e nada mais:

Cmaj

Parabéns! Você conseguiu sua primeira visualização. Fácil? Esse foi o primeiro passo, vamos adicionar novos elementos ao exercício de visualização.

  1. Vamos visualizar um pentagrama com a notação do acorde de Dó maior com sétima maior.

notação do acorde de Dó maior com sétima maior.

  1. Após visualizar o acorde e o pentagrama o próximo passo é adicionar à nota root do acorde a visualização, veja a figura abaixo:

4

  1. Agora vamos a parte mais difícil, você deve adicionar o sentido aural a esse exercício. Ouvir o que você pensa, ou seja, como você acha que deveria ser a nota root do acorde de Dó maior com sétima maior. Não se preocupe com a precisão, ou com ouvido absoluto, a razão desse exercício é você imaginar o som que a visualização produz. Com o tempo esse som passará a ser o correto, porém no inicio tente se concentrar ao máximo para ouvir o som correto. Em exercícios avançados de visualização, é possível ouvir o contexto harmônico do acorde.

  1. O próximo passo é adicionar um sentido físico, imagine ou visualize como seria tocar esse acorde no seu instrumento. No caso da guitarra, visualize esse acorde nas posições do sistema CAGE, sempre tentando ouvir o som da nota root do acorde.

4-2

Esse é o exercício básico da visualização, porém existentes exercícios avançados e variações sempre buscando um próximo passo. Primeiro vamos avaliar algumas variações do primeiro exercício proposto.

Visualizar, ouvir e sentir (ao mesmo tempo) diferentes notas do acorde de Dó maior. Por exemplo, após praticar com a nota root (Dó), você deve praticar com as terças e quintas até que você tenha visualizado todas as notas no acorde.

O próximo passo é a visualização de pares de notas. As melhores notas para começar são terças e sétimas. Você pode começar a visualização como um bloco de notas ou como notas separadas. Veja a figura abaixa:

Você deve expandir esse exercício com grupos de 3, 4 e 5 notas, as possibilidades são infinitas e seja criativo. Porém, isso deve ser feito de forma incremental e lenta. O estudo de visualização leva meses para dar resultado. Tenha calma, paciência e persistência.

Pratique esses passos até que você possa ver, ouvir e sentir os acordes e notas na sua mente. Quando você se sentir confiante o próximo passo é aplicar esses conceitos a progressões de acordes.

Aplicando visualização a progressões de acordes.

A progressão mais comum da música popular é o conhecido ii-V-I. Portanto, é o melhor ponto de partida. Uma boa forma de praticar visualização para progressões é o seguinte:

  1. Encontre um lugar calmo e quieto para estudar.

  1. Visualize em sua mente por alguns minutos a seguinte progressão de acordes.

               Dm       G7       Cmaj

  1. Visualize a mesma progressão com a notação completa. Veja a figura abaixo:

II-3

  1. Adicione às notas root de cada acorde a visualização.

II-4

  1. Em todo exercício de visualização tente ouvir o acorde e tente enfatizar a nota root. No início é difícil, porém não se preocupe com a precisão. O exercício não tem a intenção de desenvolver ouvido absoluto e sim a pratica de concentração e visualização do conteúdo musical.

  1. Sinta as notas nos seus dedos conforme a progressão de acordes se movimenta. Tente manter um tempo consistente entre os acordes.

  2. O próximo passo é visualizar as terças e sétimas de cada acorde enquanto os acordes se movimentam. Preste especial atenção nas transições entre os acordes e as transições entre sétimas e terças.

  1. Estude repetindo essa sequencia por alguns minutos. A ideia é que você visualize os acordes e “sinta” sua movimentação antes de chegar ao acorde, uma forma de antecipação. Por exemplo, no tempo onde o Dm está sendo visualizado você deve ser capaz de antecipar o G7 e sentir sua sonoridade antes mesmo que ele seja executado. Esse é um estágio avançado da visualização que pode levar algumas semanas para dar resultado.

Visualizar as terças e sétimas é essencial para visualizar a progressão e fazer sua mente ouvir os acordes. Após algum tempo de prática sua mente vai guia-lo de forma muito mais consistente durante a improvisação. Você não dependerá do acompanhamento de outros músicos ou faixas de estudo gravadas, sua independência irá aumentar e deixa-lo livre dos bloqueios mentais.

Próximos passos

Você deve construir seus exercícios de visualização. Por exemplo, pratique em várias tonalidades a sequencia ii-V-I incluindo as tonalidades menores. Pratique outras progressões de acordes comuns. Pratique com canções e visualize as mudanças de acorde.

Esse artigo é somente um ponto de partida, após praticar por algum tempo você pode adicionar variações e dissonâncias aos acordes. Algumas sugestões de variação:

  • Novas progressões em várias tonalidades

  • Incluir alterações como b9, #9, b5, b13 etc…

  • Estudar com canções conhecidas que tem mudanças de acordes bem reconhecidas.

  • Progressões de blues

  • Re-harmonizações

As possibilidades de aplicar visualização para ajudar no estudo de improvisação são infinitas.

O guitarpedia oferece um grande conteúdo de aulas sobre improvisação, harmonia e escalas. Faça seu cadastro e conheça nosso material e professores. Você pode aplicar a técnica de visualização em nossas aulas de improvisação para ajuda-lo a desenvolver melhor a percepção musical e reduzir os bloqueios mentais. O estudo de visualização leva algumas semanas ou meses para dar resultado porém, vale a pena.

Guitarpedia – www.guitarpedia.com.br

Ensino musical on-line