Usando triades em melodias, arpejos e levadas – PARTE III

Share the joy
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Como usar triades em melodias, arpejos e levadas – PARTE III

1 – Ciclos

O tema da tríades é simples e complexo ao mesmo tempo. Tudo que você tocar, não importando qual instrumento, vai ter alguma relação com as tríades. O GuitarPedia (www.guitarpedia.com.br) vai ensinar agora para uma ideia bem simples, porém essencial para entender e compreender a importância das triades. Estudar as triades através de progressões de triades, e entendo cada nota em relação a triade sendo executada, ou seja, saber onde se encontram a raiz, terça e quinta da triade. Você pode seguir alguns critérios para chegar a uma progressão, o GuitarPedia vai ajudá-lo a criar essas progressões através do processo de ciclos de triades. Se você é estudante de música já ouviu falar certamente de ciclos, se não ouviu fique atende pois é um conceito fundamental em harmonia funcional tradicional.

Vamos trabalhar no tom de C maior para tornar o entendimento mais simples. Para começar vamos encadear as trádes sempre se movendo uma terça acima da tríade anterior. Comece com uma posição de C no conjunto de cordas 123, onde C está na corda G na quinta casa , E está na corda B no quinto traste, e G é na corda E no terceiro traste.

Agora, um terça acima de C é E, mais precisamente Mi menor , porque a tríade construído sobre o terceiro grau de uma escala maior harmonizada é uma tríade menor, se está na dúvida volta ao artigo 2 dessa série e leia o tema sobre escala harmonizada. Para a triade de E menor, você deve passar de C para E , permanecendo na mesma posição tanto quanto possível. Você pode encontrar o Em apenas movendo a raiz da tríade C abaixo um meio passo. Se você me seguiu , você deve ter encontrado o B na quarta casa da corda G, E na quinta casa da corda B e G, na terceira casa da corda E. Veja as duas primeiras triades da figura abaixo:

 triades-parte3-1-guitarpedia

A figura acima representa o ciclo das terças em um escala harmonizada maior. Podemos derivar uma regra simples para o ciclo das terças: Movendo a nota raiz até a nota anterior diatonica da escala encontraremos a triade diatônica uma terça acima da triade anterior. Então, agora temos Mi menor segunda inversão , com a raiz na corda B. Se nos movermos E até D na segunda corda , temos uma tríade maior G, que é de fato uma terça acima Mi menor. Você pode continuar o processo até que você volte para C.

Começamos com os ciclos de terças pois são os mais simples, já que uma nota de cada vez deve ser altarada para obter uma nova tríade. A mesma idéia ocorre nos ciclos das sextas. O processo é um pouco mais complicado quando para os ciclos de quartas e quintas, pois duas notas devem ser alteradas para chegarmos a próxima tríade.

Abaixo o GuitarPedia apresenta todas as progressões para os ciclos de sexta, quarta e quinta, e onde encontrar cada tríade no tom de C maior.

triades-parte3-2-guitarpedia

triades-parte3-3

triades-parte3-4

Cobrir este material pode levar mais tempo do que você imagina, mas o GuitarPedia (www.guitarpedia.com.br) garante que vai ser super gratificante e útil. Você estará basicamente cobrindo todas as possibilidades de mudanças de acordes de forma diatônica no braço da guitarra, o que lhe dará a capacidade de ler sequência harmônicas sem nenhum problema ou improvisar sobre progressões de acordes sem qualquer preocupação. Um conselho do GuitarPedia (www.guitarpedia.com.br) é tornar esse estudo uma prática diária rotineira , já que a maioria das vezes você vai ouvir seções e encontrar progressão de acordes que estão em canções populares exatamente da mesma forma que os ciclos acima.

 2 – Qual a razão dos ciclos ?

 A maioria dos guitarristas perde tempo em aprender acordes sem realmente entender a conexão entre eles. Isso não serve de nada !! A música é uma linguagem, e nós precisamos entender qual a palavra que queremos colocar ao lado para termos frases, e fazer que tudo tenha sentido quando executado em sequencia. A maioria dos métodos ensina exercicios isolados e não explica a conexão com a música de verdade. Nós do GuitarPedia queremos ensinar música de verdade e não um amontado de exercicios.

Nos ciclos acima há algumas conexões que são mais fortes do que outras e portano usadas com maior frequencia, e cada acorde usado tem uma certa personalidade e vai afetar o nosso público ouvinte de forma diferente. Como observação final, um pianista, é muito mais consciente de como mudar acordes e da harmonia de uma música, porque enquanto ele se move de um acorde para outro, ele realmente vê quais como as notas se movimentam na formação dos acordes e tríades. Nós guitarristas precisam os desenvolver a mesma consciência mas, enfrentamos o problema de limitação do braço da guitarra onde temos que executar saltos para mudar de acordes. Com o tempo você vai entender exatamente o que estamos explicando.

3 -Conclusão

Este tutorial deveria ter ensinado você:

Ajudá-lo a começar a pensar sobre as notas que você está tocando, em vez de apenas ver formas no braço da guitarra

Desenvolver uma maneira de visualizar tríades todo o braço da guitarra acrescentando de forma musical

Desenvolver a rotina de estudo com base em ciclos. Isso o ajudará muito no futuro, acredite !!

O GuitarPedia espera que você tenha gostado deste tutorial. Fique ligado para saber como usar tríades para solos, e outros assuntos. Ainda vamos falar sobre triades em próximos artigos, veremos assuntos como superposição de tríades, triades abertas, triades com notas duplicadas, triades em solos. Aguarde também as aulas em video sobre tríades, harmonia funcional, improvisação e outros assuntos ! Acesso agora mesmo e faça seu cadastro: www.guitarpedia.com.br

Leave a Reply